1 PHOTO(GRAPHER): PAOLO ROSSELLI

por Hugo Oliveira

 

HO: Onde registou esta fotografia?
 
PR: Esta fotografia foi registada num quarto de hotel na cidade de Katowice, na Polónia.
 
HO: Quando foi registada?
 
PR: Em Janeiro de 2014. Trata-se do meu trabalho mais recente.
 
HO: Que tipo de atmosfera em Katowice é que pretendia reflectir através desta fotografia?
 
PR: Em primeiro lugar eu acho nesta fotografia há uma confusão entre o "dentro" e o "fora". Depois, há uma confusão entre dois temas: paisagem e câmara. Depois também há a visão da segunda câmara, que está desfocada. Assim, eu realmente pretendia colocar essas coisas em conjunto, confrontando-as.
 
HO: Porque decidiu escolher esta imagem?
 
PR: Em primeiro lugar devo dizer que esta não é uma verdadeira colagem. De certa forma, como fotógrafo eu vejo o mundo como se fosse uma colagem. É algo artificial, é algo construído. É uma espécie de "falsidade". Mas, ao mesmo tempo é muito real. Esta "encenação" não é feita através de "Photoshop", é feita por mim. Eu gosto de colocar coisas que não têm relação alguma numa espécie de "cenário". Normalmente vê-se a paisagem como uma paisagem. A minha visão do mundo já é a de uma colagem, é uma espécie de "encenação". Eu reflicto sobre esta "encenação", eu preparo-a, e depois eu percorro a cidade, tentando propor uma maneira particular de ver o mundo.
 
Desta forma, esta série - onde existe uma câmara "dentro da imagem" - é algo em que eu pensei há cerca de um ano atrás. Eu comecei por colocar a câmara como um assunto dentro da imagem que mostra a paisagem. Assim, a meu ver, o mundo não é a "realidade", é uma "encenação". Creio existir uma diferença na percepção do mundo antes e depois da chegada da fotografia digital em massa - digamos, há mais de dez anos. Na minha opinião, esta mudança surgiu ao mesmo tempo que surgiram outras mudanças na forma de ver a cidade. O número de cidades "explodiu" nos últimos 30 anos. Se for à China conseguirá entender isso perfeitamente! É um caos! No entanto, é um caos muito interessante. E na minha opinião, todas estas mudanças - a nível urbano, e a nível técnico - surgiram ao mesmo tempo. Isto influenciou a percepção do mundo pelo fotógrafo. E como fotógrafo, eu reajo a estas mudanças através de meu trabalho.
 
HO: O que é que gosta mais sobre esta fotografia e há algo de valioso a retirar desta experiência?
 
PR: O que eu gosto nesta fotografia que tirei (ou de qualquer outra que eu tire de dentro de um quarto ou de dentro de um carro) é que eu posso unir duas experiências distintas. A experiência do interior e a experiência do exterior. Se eu estivesse dentro de um helicóptero eu só poderia perceber a experiência do exterior através de um meio (seja ele um drone ou um helicóptero). No meu entender isso não é muito interessante. Através de um drone eu nunca conseguiria compor uma imagem da forma como eu costumo fazer.
 
HO: Qual é a importância da narrativa e do acto de contar histórias no seu trabalho?
 
PR: Eu acho que as ideias, as palavras ou os conceitos orientam-me aquando do registo de uma determinada fotografia. Isso é muito importante. Caso contrário, eu acho que, mesmo que o registo de fotografias de arquitectura seja algo muito interessante, no final, é essencial saber o que é se está a fazer como fotógrafo.
 
 
Paolo Rosselli é um fotógrafo de arquitetura e vive em Milão.
 
A imagem e entrevista seleccionadas fazem parte do projecto editorial "1 Photo(grapher)".
INTERVIEW WITH MIGUEL REFRESCO

Emerging Portuguese photographer Miguel Refresco

by Jiôn Kiim 

 

ENTREVISTA: Philipp Schaerer

Entrevista realizadas durante a 4ª EDIÇÃO da CONFERÊNCIA INTERNACIONAL NA SUPERFÍCIE - FAUP | Setembro de 2016

INTERVIEW: Philipp Schaerer

Interview conducted during the 4TH EDITION INTERNATIONAL CONFERENCE ON THE SURFACE - FAUP | September 2016

Passages

 

Passages: Martina Corà | Stefano Graziani  | Guido Guidi  | Allegra Martin  | Marco Menghi | Michele Nastasi  | Filippo Romano | Giovanna Silva | Delfino Sisto Legnani | Alessandra Spranzi | Cristiano Toraldo Di Francia

Páginas